Importância do Associativismo Médico: A experiência de 80 anos da APM.

27/05/2010 - 08:30 hs às 10:00 hs

32 Visualizações

Localidade: Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Coordenador(a): Prof. Dr. Eduardo Sadao Yonamine.

Palestrante: Dr. Alessandro Wasum Mariani

Cirurgião Torácico, Pós-graduando da Disciplina de Cirurgia Torácica e Cardiovascular da Faculdade de Medicina da USP. Assessor da Presidência da Associação Paulista de Medicina.

1) Dr. Alessandro Wasum Mariani iniciou a videoconferência agradecendo o convite para participar do projeto. Ressaltou a importância para ele e para APM (Associação Paulista de Medicina) em participar de uma iniciativa como o EDUCASUS, pois esse tipo de iniciativa tem tudo a ver com Associação;

2) Dr. Alessandro falou um pouco da história da Associação, que foi fundada em 29 de novembro de 1930, completando, em 2010, 80 anos de atuação. Ela é fruto de uma ideia que nasceu com a insatisfação de alguns médicos, em relação à única entidade em atividade na época no estado de São Paulo, que era a Academia de Medicina de São Paulo. A academia possuía um estatuto limitado, com apenas 50 sócios escolhidos de acordo com o desempenho técnico científico. A ideia dos médicos era ter uma associação na qual pudessem congregar todos os médicos e o único critério de seleção seria ético moral e não técnico. O objetivo desses colegas na época era basicamente o aprimoramento do conhecimento técnico-científico dos médicos, para que a ciência médica crescesse. Ao longo do tempo, a Associação cresceu e começou juntar outras facetas do desempenho médico, como promover atividades para aproximação entre médicos e as sociedades. A partir da criação da APM, começou também a desenvolver o papel de defesa do médico no sentido de promover ações culturais, sociais, esportivas e lazer. Inicialmente, quando a Associação foi criada, era para a cidade de São Paulo. As cidades do interior tinham suas próprias associações feitas também de maneira similar. A união ocorreu em 1948 quando foi decidido juntar as diversas associações, assim como inseri-la nos lugares em que não tinham uma associação;

3) Dr. Alessandro comentou que a APM hoje representa uma entidade do terceiro setor, sem fins lucrativos e de utilidade pública. É uma representante dos médicos de São Paulo, tanto da capital quanto do interior. É a maior entidade desse nível da América Latina. A APM tem um poder de abrangência e, até mesmo, de repercussão muito grande. Congregamos praticamente 30 mil médicos. Como é organização da Associação hoje? Ela é formada pela APM de São Paulo, mais 14 distritais que congregam 83 regionais, ou seja, tem uma organização que visa atingir o estado todo de forma homogênea, resguardando as especificidades de cada lugar. Outra característica importante na organização é que são 68 departamentos científicos e comitês. O que isso significa? Os departamentos científicos, ao mesmo molde da Associação Médica Brasileira, representam as diversas especialidades médicas que têm suas especificidades e, por isso, devem ser congregadas dentro da Associação com certa diferenciação. Os comitês respondem por atividades específicas, tais como os comitês de eventos, atividades socioculturais etc. As metas congregadas desde o início e mantidas até hoje, são: as atividades técnico-científicas, os produtos e benefícios que a APM pode oferecer ao associado e a representação da Associação perante a classe médica e a sociedade. Explicou que desde o início, em relação à questão científica, o mote sempre foi de uma sociedade voltada à educação médica continuada. Entendemos que a Medicina é uma ciência em constante evolução e, por isso, precisamos de meios efetivos de dar ao médico que está atendendo no pronto socorro, no seu consultório ou no hospital, todo embasamento teórico e científico para fazer a melhor prática possível. Como fazemos isso? Por meio da promoção e do apoio a congressos, cursos e eventos científicos. Alguns cursos que são próprios da APM, sendo: curso de Urgência e Emergência, que atualmente está numa fase de reformulação; as jornadas de sociedades de patologias e pneumologia, entre outras. Outra forma de educação médica continuada muito forte, são as revistas São Paulo Medical Journal e a Diagnóstico & Tratamento. Ontem, 26 de maio de 2010, ficamos sabendo que é uma das revistas nacionais de maior fator de impacto. Isso é muito importante para nós;

4) Dr. Alessandro frisou que a APM tem defendido muito a bandeira da defesa profissional, seja no âmbito da política médica ou da defesa profissional de classe. Estamos juntos na luta pela implementação de uma melhor remuneração para o médico. Plano de carreira, cargos e salários são outros fatores que temos discutido amplamente, onde estamos tentando transformar o médico em uma carreira de estado, ou seja, equalizar o médico com as outras carreiras de estado. Outra bandeira é a abertura indiscriminada de escolas médicas, que certamente é um dos grandes fatores na queda de remuneração e na qualidade de atendimento médico. Também temos a assessoria jurídica que visa não só a defesa de classe, como também, especificamente, a defesa do médico. A APM hoje proporciona ajuda da assessoria jurídica gratuita aos associados que podem ser ajudados em situações delicadas, como quando um médico é questionado no exercício de sua profissão, por exemplo;

5) Dr. Alessandro falou que a APM conta com veículos de comunicação bem atualizados para realizar o diálogo com os associados. A revista da APM aborda a política médica, com assuntos científicos colocados de uma forma mais simples e que tem uma aceitação muito boa. Outro veículo de comunicação é o portal da APM (www.apm.org.br) o qual conta com várias informações atualizadas. Tem também o Informe APM, a WebTV e o programa “Ação Saúde” que está ganhando cada vez mais força. Falou das atividades de cultura e lazer que cresceram ao longo dos 80 anos da APM, de uma forma muito tímida, mas que hoje são muito fortes. Essas atividades vão desde o cine debate, escola das artes, museu de história da Medicina, localizada em nossa sede; Pinacoteca, que conta com obras de artistas como Tarsila do Amaral e representa a arte brasileira dentro da Associação. Fica um convite a todos para conhecerem a sede da APM;

6) Dr. Alessandro enfatizou que outra coisa que cresceu ao longo dos anos dentro da Associação, foi a questão dos benefícios aos associados. Como a Associação congregava os médicos, a ideia é levar que cada vez mais facilidades à vida do médico. Hoje, a associação conta com departamentos específicos que facilitam a vida, como por exemplo: assessoria contábil, fiscal trabalhista, biblioteca e uma DVDteca, ajuda nas emissões de certidões, entre outros. Outra coisa que chama muita atenção é o clube de campo que conta com: área de camping, hospedagem em chalés ou suítes, restaurante e lanchonete, 50 quiosques com churrasqueira, auditório para 70 pessoas, campo de futebol, quadras poliesportivas, quadras de tênis, hípica e escola de hipismo, parque aquático, seis nascentes naturais que abastecem o clube, pesca esportiva, pista de cooper e bicicross, playground, salão de jogos e trilhas ecológicas. Essa é uma área em que o médico pode ir com sua família ter seus momentos de lazer e aproveitar também com outros colegas. Fica aqui também outro convite para que vocês conheçam o clube de campo e procurem cada vez mais fazer parte dele;

7) Dr. Alessandro ressaltou que a Associação tem ganhado muito com a responsabilidade social. O que é isso? A sociedade em geral hoje vê o médico de uma forma muito diferente. É importante que o médico volte a ter um bom relacionamento com a sociedade e a Associação vê isso como uma forma de responsabilidade social. Portanto, tem alguns programas que a Associação está desenvolvendo frente aos hospitais e fica aqui o convite para que os hospitais entrem em contato conosco para obter detalhes sobre esses programas. Chamo a atenção do programa de CQH (Controle de Qualidade Hospitalar) que é feito junto com o CREMESP, como uma forma de certificação da qualidade hospitalar. É uma das coisas que faz com que a Associação ganhe de novo um punho de estar com a sociedade. A APM promove também campanhas para ajudar em situações como enchentes e catástrofes naturais, como no Haiti no início de 2010;

8) Dr. Alessandro enfatizou que a APM acha importante passar as experiências que vivenciou. Hoje a APM representa uma entidade consolidada, sendo a maior entidade do terceiro setor da América Latina e tem uma importância crítica para poder trazer mudanças no âmbito pessoal do médico com a defesa profissional, cursos, educação médica continuada e mais. Gostaríamos cada vez mais de discutir onde a classe médica está atualmente e onde quer chegar, qual é a remuneração justa, quais são as condições de trabalho mínimo etc. O que deve ser feito? Nesse sentido, discutir classe e sociedade. O que a sociedade espera do médico, o que a sociedade gostaria de ter contemplado como qualidade de atendimento de saúde etc. Fica também o convite para todas as entidades de saúde, tais como Fisioterapia, Enfermagem, Fonoaudiologia, entre outras, discutirem junto à Associação Médica como podemos melhorar, aprimorar, em especial, no âmbito do atendimento da Associação Paulista.

9) Sr. César Henrique Theobaldo (Gerente do Departamento de Informática da FCMSCSP) tomou a palavra e passou às entidades participantes, as quais fizeram seus comentários, questionamentos e debateram sobre o tema, tendo obtido respostas muito pertinentes do Dr. Alessandro Wasum Mariani. O debate pode ser acompanhado no vídeo do evento que está disponível na página do projeto EDUCASUS. Sr. César agradeceu a presença de todos e encerrou a sessão.

Entidades participantes:

SANTA CASA DE MIS. DE ITAPEVA; IRM. DA SANTA CASA DE MIS. DE LORENA – não linkado; IRM. DA SANTA CASA DE MIS. DE MARÍLIA – ausente; IRM. DA SANTA CASA DE MIS. DE PIRACICABA; IRM. DA SANTA CASA DE MIS. DE SOROCABA – não linkado; IRM. DA SANTA CASA DE MIS. DE VOTUPORANGA – não linkado; FEHOSP; HOSPITAL SÄO LUIZ GONZAGA – não linkado; HOSPITAL GERAL DE GUARULHOS – não linkado; SANTA CASA DE MIS. DE RIBEIRÃO PRETO – não linkado; SANTA CASA DE MIS. DE BARRETOS; FUNDAÇÃO AMARAL CARVALHO/JAÚ – não linkado; SANTA CASA DE MIS. DE OURINHOS – não linkado; SANTA CASA DE MIS. DE FRANCA; SANTA CASA DE MIS. DE SANTOS – não linkado; CASA DE SAÚDE SANTA MARCELINA – não linkado; SANTA CASA DE VOTUPORANGA – AME SANTA FÉ DO SUL – não linkado; SANTA CASA DE VOTUPORANGA – AME JALES; FUNDAÇÃO PADRE ALBINO; SANTA CASA DE MOGI MIRIM – não linkado; SANTA CASA DE RIO CLARO – não linkado; HOSPITAL PRÓ-VISÃO; SANTA CASA DE MOCOCA; SANTA CASA DE SANTO AMARO – não linkado; HOSPITAL GERAL DE CARAPICUÍBA – não linkado; SANTA CASA DE BURITAMA; SANTA CASA DE MAUÁ – não linkado.

Participantes:

Sr. César Henrique Theobaldo (Gerente do Departamento de Informática da FCMSCSP).

Sem apresentação de powerpoint.